Betsy e seus balões coloridos

Aventuras e histórinhas em São Paulo (e agora em Londres também!!)

Play the game julho 3, 2010

Filed under: Londres,Vida urbana — Priscila Valdes @ 3:50 pm
Tags: ,

Vai fazer um mês que estou trabalhando numa empresa na área de Local Marketing. Por incrível que pareça, eu consegui essa trabalho pela comunidade Mind the Gap, no Orkut. Eles estão sempre precisando de pessoas que falam outros idiomas, entre eles, português.

Depois de um longo processo seletivo (três entrevistas) eu fui contratada. Minha principal função é fazer o nome da empresa e vender os produtos para a comunidade brasileira em Londres.  Comunidade que é imensa aqui.

Como todo trabalho, existem atividades que eu adoro e outras que eu odeio.  Mas a que eu mais odeio agora é a que tem tomado três, dos meus cinco dias da semana. Essa atividade consiste em ficar num shopping ou na rua, adivinha? Entregando panfletos e fazendo agendamentos! PQP! Parece que a minha sina em Londres é entregar panfletos na rua, não tem jeito.

Além desses agendamentos, o meu chefe, um nigeriano de quase dois metros de altura, fica nas ruas gritando “Play the game” com uma bolinha na mão. A ideia é fazer as pessoas responderem umas perguntas, concorrerem a uns prêmios e, finalmente, criar mailing. Hoje ele me deu a bolinha e disse: sua vez.

Ah, fudeu, pensei. Ficar aqui, na rua, gritando: Play the game, play the game, play the game. Olha, por mais que eu esteja em Londres, ninguém me conhece e tal, fiquei com VA. VA de mim mesma.

Por outro lado, essa experiência tem sido incrível. Estou conhecendo muitas pessoas, participando de reuniões e treinamentos animais e melhor: visitando lugares em Londres que eu jamais conheceria como turista.  Agora a pressão tem sido imensa em cima dessas atividades e, sinceramente, não sei quanto tempo eu seguro a onda nesse novo emprego. Entre essas e outras razões, eu tô com a nossa seleção:  volto pra casa mais cedo. Em dezembro eu tô de volta.

Anúncios
 

Londres: quatro meses junho 17, 2010

Filed under: Casa e comida,Londres,Vida urbana — Priscila Valdes @ 7:23 pm
Tags: , , , ,

Dia 15 fez quatro meses que estou aqui.  Nesse período já trabalhei em quatro lugares diferentes, morei em duas casas (estou agora procurando outra) e conheci muita gente, mas muita gente mesmo.

Posso dizer que tive muita sorte sim, pois apesar de toda a reclamação, eu já tinha uma fonte de renda logo no meu primeiro mês aqui. Eu não posso ser ingrata. Várias pessoas me ajudaram, principalmente as que moram comigo.

Viver numa casa com mais nove pessoas não é nada fácil. Tem briga e confusão por causa de tudo. Por causa da louça, do lixo, do leite… E por ai vai…

Mas também rola muita cumplicidade. Os meus três primeiros trabalhos aqui foram graças à indicação das pessoas da casa.

Se agora estou procurando outro lugar para morar, é porque preciso praticar mais inglês. Se você vem sozinho para Londres (como eu vim), a princípio é terrível a ideia de morar com outros brasileiros, mas isso pode te ajudar no começo.

Só não pode acomodar.  Depois que você estiver mais confiante do seu inglês (até para entender sobre o contrato, como, quanto e onde pagar), dai sim é legal procurar uma outra casa para morar. É isso que estou fazendo.

Ah, em tempo, o site que mais tenho usado para isso é o Gumtree. Já falei dele antes. Ele é ótimo.  @ficaadica 😉

 

Novidades junho 12, 2010

Filed under: Londres,Vida urbana — Priscila Valdes @ 5:42 pm
Tags: , , ,

Eu sei, ando sumida novamente.

Primeiro eu pedi demissão do Pizza porque arrumei outro emprego na área de Marketing numa empresa aqui em Londres.  Em termos financeiros, não há muita diferença do que eu iria ganhar no restaurante, porque lá as tips eram ótimas e eu poderia me dar bem. Mas nessa nova empresa eu posso falar mais inglês, conhecer também pessoas do mundo todo e ainda colocar essa experiência no meu CV para dar um UP né?! rsrsr Depois vai ter um post falando só sobre isso, ok?! =)

Outra novidade: o gato chegou. Levar um namoro à distância é algo muito complicado. Aos poucos, a coisa vai desgastando e, de repente, somos dois estranhos. Agora ele está aqui, estou sim mais feliz e, aos poucos, vamos nos entendendo e revertendo essa situação.

Já a primeira semana de trabalho foi uma loucura. Logo de cara já participei de uma reunião da área de Marketing com alemães, poloneses, franceses, nigerianos, indianos e ingleses. Ah, e eu, brasileira.

Maior barato.

Agora sim meu inglês vai dar um UP. Aliás, ontem eu ouvi uma ótima sobre o nível do inglês:

– Como está o seu inglês?

– Ah, então… Falar eu falo. Eu não passo fome, mas ainda não como o que eu quero.

kkkkkkkkkkkkkk Achei ótima! Agora acho que vou poder melhorar esse meu cardápio e, finalmente, conseguir me planejar melhor financeiramente.

É isso aee. Vamo que vamo!

 

E eu chorei maio 31, 2010

Filed under: Casa e comida,Vida urbana — Priscila Valdes @ 11:55 am
Tags: , , ,

Textinho novo nos 7 Cronistas Crônicos, vai lá!

É a histórinha do meu primeiro emprego em Londres, como garçonete 😀

 

Vale a pena? maio 27, 2010

Filed under: Diversão,Londres,Vida urbana — Priscila Valdes @ 3:05 pm
Tags: , , ,

Semana passada eu andei muito reflexiva aqui em Londres. Fiquei pensando se realmente essas minhas loucuras valiam a pena: deixar uma vida relativamente estável, carreira, amigos e amores, tudo para trás para simplesmente viver uma aventura que deveria ter vivido no auge dos meus 20 anos.

Eu me pergunto se vale a pena toda hora. Porque afinal eu não estou fazendo mestrado como alguns, casando, tendo filhos, comprando carro ou apartamento, juntando dinheiro ou coisa parecida. É lógico que eu gostaria de estar fazendo tudo isso. É lógico que me pergunto: putz, será que eu ainda vou fazer tudo isso?! Mas por hoje, eu tenho que me contentar em fazer diferente.

Se eu te falar que é fácil, é mentira. Faz algumas semanas que estou trabalhando como garçonete, servindo pizzas e carregando bandejas cheias de taças, xícaras e garrafas. Eu ando parecendo uma pata, segurando todos aqueles vidros morrendo de medo de deixar cair na cabeça de um cliente.

Ontem eu consegui cortar o meu dedo picando limão, arrancar um pedaço da minha unha abrindo uma garrafa de Coca-Cola e quase manchar a camisa do meu chefe que estava me ensinando a preparar – Chocolate Glory. Explico: na hora de colocar a bola de sorvete na taça, ela voou descontroladamente para cima do meu chefe. Maldito Vanilla Ice cream!

Apesar de todos os meus micos e enrascadas, eu vivi nesses últimos três meses muito mais do que nos meus últimos dois anos em São Paulo. Conheci gente do mundo todo, lugares, chorei, tive medo, angústia, dei risada, tive raiva, fiquei emocionada, senti gratidão, me senti o máximo, me senti uma idiota… Foram tantas coisas!

Então… Tudo isso que relato aqui no blog pode parecer bem estúpido e uma grande perda de tempo para alguns… E às vezes parece para mim também. Mas isso já não importa. A vida é algo muito valioso para se passar sentada, assistindo TV na sala de estar.  Como diz o meu amigo: se joga, Pintosa! Põe rosa!

Agora… Se vale a pena? Eu também não sei…

 

Vai uma coxinha ai? maio 19, 2010

Filed under: Casa e comida,Diversão,Londres,Vida urbana — Priscila Valdes @ 5:41 pm
Tags: , , , , , ,

Por indicação de um amigo aqui de casa (ainda vou escrever um post para falar sobre as pessoas que moram comigo), fui trabalhar com uma família brasileira que vive aqui há alguns anos e vende comida típica brasileira em duas famosas feirinhas de Londres:  Sloane Square e Brick Lane.

(Eu ainda vou escrever sobre Brick Lane, depois de Candem, esse é outro lugar que fará parte do roteiro de quem vier me visitar aqui.)

O trabalho foi muito gostoso e eu realmente me diverti vendendo feijoada, salgados e doces, além do famoso Guaraná. A feira de Sloane Square é linda, chique,  acontece aos domingos durante o dia todo e lá você pode apreciar pratos típicos de diferentes lugares do mundo.

Já em Brick Lane, além de comida, você também pode comprar roupas, acessórios, decoração… É uma feirinha tipo Benedito Calixto e Center 3  (SP), mas com muito, mas muito mais “personalidade”, se é que posso falar desse jeito. Depois da feira, todas as barracas “trocavam” comida, doces e salgados, assim, você podia provar várias coisinhas diferentes e ainda fazer amizade com gente do mundo todo!

Eu trabalhei com essa família apenas dois finais de semana e a experiência já vai deixar saudades.  Mas como eu não tô aqui de brincadeira (kkkkk), eu logo arrumei outro trabalho: de garçonete do Pizza Express.  Rá! Quem pensou que as histórias terminavam por aqui, se enganou direitinho! Tem mais, ô se tem mais… =)

 

Tem que sambar – Final (ufa!) maio 13, 2010

Filed under: Diversão,Londres,Vida urbana — Priscila Valdes @ 6:40 pm
Tags: , ,

Quando você viaja com a cara e a coragem para uma terra estranha que não conhece ninguém, você depara com todo o tipo de pessoa. É claro que encontrei gente linda, queridos e solidários, mas encontrei também um… Como eu posso chamar? Ah, um “Brasileiro-Que-Deu-Certo”.

Por indicação de uma outra amiga, fiquei sabendo dele. O BQDC precisava de alguém que fizesse a “promoção” de uma balada latina em escolas de inglês onde estudassem brasileiros. O trabalho era simples e até divertido: montar um roteiro e visitar essas escolas para conversar com as recepcionistas, falar da noite brasileira e deixar uns panfletos lá.

Eu pensei, por que não? Poderia praticar o meu inglês e estava mesmo precisando de grana.  Minha primeira conversa com o BQDC foi até que tranquila, tirando o fato que ele ficou horas falando que todas as mulheres brasileiras (oi? eu? brasileira?) eram mulheres de vida fácil (pensei, fácil é o C…) e que vinham para cá arrumar marido europeu.

Lógico que achei tudo isso super preconceituoso, mas fiquei quieta, né?! Estava precisando da grana desse trabalho de divulgação.

Na segunda vez eu fui com um amigo, que queria entregar o CV lá para uma vaga de catering ou coisa parecida. O BQDC olhou para ele e disse:

– Eu vou colocar no meio dos outros 45 que estão ali. Se eu lembrar da sua cara, ou pegar o seu CV, tipo roleta-russa, eu te chamo, ok?!

Depois que o meu amigo foi embora, o BQDC amassou e jogou o CV fora e ainda disse – Olha, acabei de jogar no lixo o CV do seu amigo…

Olhei, fiquei vermelha de ódio daquele jeito que vocês sabem e comecei a explicar como tinha sido o trabalho naquela semana. Foi aí que ele solta a pérola:

– Ah, mas tem que sambar.

Alguns segundos de silêncio.

– Como assim? Eu perguntei.

Dai ele deu uma risadinha e falou: ah, se você sambar atrai mais gente.

Alguns minutos de silêncio.

Tá, eu contei até 10 (consegui, amigas! Eu não virei um copo na cara dele ou sai batendo porta ou comecei a chorar descontroladamente), eu simplesmente respondi:

– Bom, se você precisa de alguém que sambe é melhor contratar outra pessoa.

Até porque, cá entre nós, eu sambando na porta da balada ia mais é espantar do que atrair a freguesia, né gente?! Vocês podem me imaginar????

Enfim. O trabalho durou só aquelas duas semanas. Dai eu comecei a vender coxinha na feira. Mas esse já é outro post. 🙂