Betsy e seus balões coloridos

Aventuras e histórinhas em São Paulo (e agora em Londres também!!)

Depois dos 30 junho 3, 2010

Filed under: Carinhos e cafuné,Diversão — Priscila Valdes @ 1:37 pm
Tags: , , ,

Quando eu fiz 30 anos, eu fiz todas aquelas perguntas normais da idade: estou feliz no meu trabalho? Estou feliz no meu relacionamento? Estou feliz com a minha vida?

Além disso, claro, decidi que desse dia em diante teria 27 anos. Se estivesse no bar e me perguntassem quantos anos eu tinha: 27. Na balada, 27. No escuro e com umas cachaças na cabeça, você pode falar que tem 21 e tem gente que acredita.

Numa conversa que tive, há alguns anos, com a minha grande amiga Pat Sugar, a gente descobriu que tudo aquilo que a gente leu nas revistas femininas que aconteceria aos 30 era mentira:

– Uma carreira bem-sucedida – MENTIRA!

– Um relacionamento estável – MENTIRA!

– Super bem-resolvida com as suas escolhas e decisões – MENTIRA!

Agora eu vou fazer 33. A idade de Cristo. Uma idade que me parecia tão longe… Tão longe… E ela chegou. Até então eu estava bem tranquila, porque com 32 anos eu tinha decidido que não ia falar que tinha 27 (não minto tão bem), então eu falava que tinha 30… Ah 30, 32… Dá tudo na mesma.  Porque na verdade, é tudo uma questão de estado de espírito, né minha gente?! MENTIRA!

Desculpe, mas a gente bem sabe que depois dos 30 não adianta deixar de jantar para a pancinha ir embora. E sim, o peito dá uma caidinha. E a bunda também. E você já tem que reservar uma grana para os cremes de rugas. Sem glamour.

Ontem, eu sai para beber e dançar. E lá pelas tantas, eu comecei a encanar que estava dançando igual a minha tia Sonia no Carnaval. Um lance meio coisinha de Jesus…Dai tentei mudar o passo, e a cada movimento eu encanava mais que estava dançando como alguém de 30. Existe isso? Dançar como alguém de 30? Ou é só o peso dos 33 chegando?