Betsy e seus balões coloridos

Aventuras e histórinhas em São Paulo (e agora em Londres também!!)

Rogério quem? março 28, 2011

Filed under: Diversão,Vida urbana — Priscila Valdes @ 8:07 pm

Sério, eu não sou são paulina. Tampouco corinthiana ou palmeirense. Na verdade, eu nunca fui muito fã de esportes. Devo ter nascido no país errado então.

Desde ontem meu mural do FB tem sido bombardeado por “chupa fulano”,  “ciclano é lider”, “100 gols”, isso ou aquilo. Não estou falando em específico desse último jogo. Estou falando desse ópio chamado futebol. Tanto se fala das religiões, mas para mim o futebol também é um entorpecente alucinógeno. Após uma vitória, as pessoas acordam extasiadas, como se tivessem ganhado na Megasena ou coisa parecida.

Escrevendo esse post eu me sinto até um pouco amarga… Rogerio quem?  Amarga e alienada para um assunto que parece ser a principal pauta dessa segunda-feira.  Já vi tantos  outros temas  importantes (sobre impostos, leis, coisas que vão bater direto no bolso de cada um) na capa do Uol ou da Folha que teve pouca ou nenhuma repercussão no meu mural. Será que meus amigos são pouco politizados? Não, eu acho que não.

É apenas o futebol. Essa paixão que, como toda paixão, deixa cego, bobo e é capaz de fazer chorar, até o mais macho dos machos.

Eu tenho meu calcanhar de Aquiles, mas desse aí, ainda bem, eu passo longe!

 

E eu voltei! março 23, 2011

Filed under: Diversão,Londres — Priscila Valdes @ 9:32 pm

Pois é, meus queridos!

Esse mês de março fiquei super ausente porque estava no Brasil! Ai, que delícia namorar, rever os amigos, conversar em português, passar calor e tomar cerveja como se fosse água!

Novela mesmo foi voltar para Londres. Tudo começou na hora do embarque. O meu bilhete era 31E da TAM. Primeiro organizaram 3 filas – a da direita com seres iluminados que podem pagar primeira classe ou têm aqueles cartões especiais tipo business, a da esquerda com assentos do 15 ao 30 e a coluna do meio, com assentos do 31 até o 40 e lá vai cassetada.

Depois de entrarem os iluminados, os da direita, entramos nós, os cagados de arara que ficaram 40 minutos esperando em pé numa fila imensa. Pensei – não dá pra piorar né?!

Foi quando descobri que o assento E ficava também na coluna do meio, no meio de outros assentos. Eu, por um acaso, fiquei no meio de duas pessoas grandes, muito grandes, que disputavam o encosto de braço com muita voracidade. Pensei – não dá pra piorar né?!

Dai veio uma família muito bonita, composta por pai, mãe e duas crianças lindas e sentaram na minha frente. Agora você imagina, se pudesse, o que faria após mais de 13 horas sentado no mesmo assento? Gritaria, gritaria com todas as suas forças para te tirarem daquele lugar. Foi o que as crianças fizeram durante o vôo todo. Pensei – não dá pra piorar né?!

Tomei um Dramin para dormir e dormi. Foi quando umas três horas depois acenderam uma luz e nos mandaram descer… Afinal ainda não tínhamos decolado vôo porque estávamos com problemas técnicos no avião.

Sonolenta e faminta, desci para comer alguma coisa. Foi quando eu lembrei que não tinha um p** no bolso. Para quê levar Reais para Londres, pensei antes de embarcar. Sonolenta, faminta e p** da vida fiquei lá no aeroporto sozinha esperando, esperando…

Uma hora depois  nos mandaram embarcar novamente. Agora você imagina o cagaço de entrar naquele avião né?! Resolvi parar de brincar de “não dá pra piorar né?!” Porque percebi que sempre dá…

Bom, estou aqui para dizer que nada piorou, que eu sobrevivi às pessoas grandes, aos bebês chorões, à fome e ao avião em pane! Sobrevivi e estou aqui novinha em folha, renovada com todo o amor e carinho que recebi em Sampa para escrever mais um ano meus micos e situações constrangedoras que passo por aqui.

Voltei uhuuuu!

Imagem daqui ó