Betsy e seus balões coloridos

Aventuras e histórinhas em São Paulo (e agora em Londres também!!)

Quando criança, eu tinha medo… julho 29, 2010

Filed under: Carinhos e cafuné — Priscila Valdes @ 8:57 pm

Das pessoas!

Era impressionante como eu tinha medo da escola, dos professores, da minha mãe quando corrigia meu caderno de tarefas. Daí quando fui crescendo, fui ficando com medo da palavra das pessoas. Dos comentários. Do que elas me diziam e que, sem perceber, ia se cristalizando durante minha infância, juventude e vida adulta.

O motivo desse post foi um texto que eu li no Sou tímido… Eu gosto muito da proposta e da coragem de expor e contar suas fraquezas e fragilidades (coisa que todo mundo tem, alguns encaram de frente, já outros…) desse blog. Sempre vou lá acompanhar as aventuras e desventuras de Marcelo. No seu texto, ele fala que cresceu ouvindo uma tia falando que ele era um merda. Acho que todo mundo tem um caso assim na família, né?!

Eu, por exemplo, cresci ouvindo que era feia. Explico: minha mãe era (é) uma mulher lindíssima. Loira, magra, olhos verdes, rosto de boneca. Ela casou com o meu pai, que é chileno, e para o meu azar (será?) eu nasci a cara do meu pai (tipo índio) ao invés de nascer a cara da minha mãe (tipo boneca).

Para piorar, quando eu tinha 9 anos meu pai foi embora e eu perdi todo o contato com a família dele (hoje tudo está diferente :)) Então, eu era a única neta, prima, sobrinha, pessoa com cara de índio. Pior, sem olhos verdes. Todos os netos eram  loiros dos olhos claros (até nascer a Ste hihihi).  Eu tinha o olho cor de mel. “De coruja” como dizia um amigo.

Eu lembro que quando era criança, eu chorava na frente do espelho me questionando porquê, porquê,  porquêeeeee (sempre fui dramática) eu não tinha olhos verdes?! E, claro, sempre tinha alguém para falar – que pena que você não nasceu com o olho da sua mãe, né?!

Enfim, levei esse trauma por muuuiiiitttos anos. Até que um dia conheci a Fabricia. Uma menina lindíssima, daquelas de parar o trânsito que usava lentes de contato: cor de mel! Tipo, ela usava lentes para ficar com os olhos da cor do meu! Depois disso, nunca mais achei meus olhos feios. É claro que essa auto-aprovação não deveria vir dessa maneira, pelo outro. Mas foi assim. E ainda bem que um dia eu parei de me achar feia. (Ah, na TPM eu sempre me acho horrorosa, mas isso não conta :P)

As pessoas geralmente são muito cruéis com as palavras. Com as crianças isso tem um efeito catastrófico.  Por isso, muito cuidado. Bom mesmo seria se ela fosse usada de uma maneira mais doce, mais gentil né?!

Anúncios
 

8 Responses to “Quando criança, eu tinha medo…”

  1. Paula Schuwenck Says:

    Pri, amei seu texto e assino embaixo. Uma vez vi a entrevista de uma atriz que tem o nariz horroroso, enorme. Não me lembro que atriz exatamente era, mas me marcou porque ela disse que mãe dela sempre dizia, desde que ela era pequena, que o nariz dela era tão lindo que todo mundo ia ter inveja e falar que era feio. Então ela cresceu se achando linda, com o nariz perfeito…rs. E disse que por isso teve auto-estima pra ser atriz e ser sexy. Achei o máximo! Mostra o inverso do que a maioria faz e como funciona bem nas crianças.
    A última crônica do Walcyr Carrasco, na Veja SP, fala disso. Bullyng na família. Leia aqui: http://vejasp.abril.com.br/revista/edicao-2175/bullyng-na-familia-walcyr-carrasco

    Tem tudo a ver com o seu texto.
    Beijo

    • Priscila Valdes Says:

      Nossa, menina, até eu fiquei chocada como estamos falando da mesma coisa… rs Mas eu não conhecia essa história de Bullyng na família, adorei saber!! Beijo!

  2. Pri Lugaresi Says:

    Pri, me identifiquei muito.. meu pai, meu avô, meus tios, algumas tias e, principalmente, meu irmão tem olhos AZUIS, lindos! E eu né? Nadica de nada… esse mel, esverdeado, amarronzado,enfim. As visitas chegavam em casa e diziam “Pena que a Priscila não ficou com os olhos azuis como o irmão”. Affe…. Mas minha mãe dizia pra mim: “Filha, não liga não… olho azul é fraco. Não vê que seu pai usa óculos??”. Hahaha! Acho que foi o que ajudou… hehee. Hoje uso óculos (eita ironia) mas passei da fase de me sentir inferios pela cor dos olhos.
    Bjo grande 🙂

  3. Vitor Says:

    Tsc, tsc. Duas Priscilas lindas reclamando da vida… Esse mundo tá perdido.

  4. micarock Says:

    ah eu não posso comentar este texto hoje! estou de tpm e só de pensar no que falar já quero chorar! rsrs
    mas, vc me conhece e pode fazer uma idéia de tudo que já escutei e ainda escuto né!? bjos

  5. Renata Says:

    Eu não ouvi que era feia mas minhas irmãs falavam…vc é adotada pq sou diferente delas…hahahaha…mas eu não estava nem aí pra elas…rsrs…falava coitado do pai e da mãe…adotaram a mais arteira!!! rs


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s