Betsy e seus balões coloridos

Aventuras e histórinhas em São Paulo (e agora em Londres também!!)

Por que mudar? outubro 29, 2009

Filed under: Londres,Vida urbana — Priscila Valdes @ 2:27 pm
Tags: , , , , , ,

De repente, não mais que de repente, decidi mudar o rumo da minha vida. Ui!

Já andava muito insatisfeita com a vida profissional e um pouquinho com a vida pessoal. Passei o primeiro semestre inteiro me lamentando sobre o meu trabalho que não melhorava e a minha casa que era mais animada do que o meu humor balzaquiano.

Com tudo isso acontecendo e o início do segundo semestre, decidi dar entrada no meu passaporte italiano, investir no estudo de inglês e, finalmente, me matriculei num curso fora, mais precisamente na Inglaterra.

Olha como a vida é, há muitos anos, a Cecília, uma gata linda que correu atrás dos seus sonhos e hoje mora ao lado do seu amor nos States, me deu um mapa de Londres. Ela disse que ele iria me ajudar quando fosse para lá… Quem diria, né?!

Mas a vida toma o rumo que ela quer. O meu contrato de trabalho acaba em dezembro, o contrato do apê também, então reuni a grana e comprei um curso de três meses preparatório para o IELTS…

Agora estou nessas coisas práticas de viagem: não vou precisar de visto, por causa do passaporte italiano, mas o meu nome é só espanhol, então já viu né?! Mãe italiana, pai chileno, eu brasileira, e viva a Globalização!

Se estou com medo?! Frightened…  Mas se você leu o meu primeiro post de 2009 eu já falava que este ano, tudo daria certo, mas de um jeito diferente…

É…Acho que é isso aí!  

Cat_02

 

Para o alto e avante! outubro 28, 2009

Filed under: Londres,Vida urbana — Priscila Valdes @ 7:29 pm
Tags: , , , , ,

Poucas pessoas sabem que vou passar uma temporada fora. Esse já era um desejo antigo e, finalmente, estou me sentindo preparada para ir.

A princípio vou sem lenço e sem documento. Paguei um curso de inglês por três meses, alojamento por um mês, passagem de ida e volta (vai que dá alguma coisa errada né?! Rsrsrs) e alguns trocados caso não arrume empregos nos primeiros meses.

Essas mudanças trouxeram muita reflexão para o meu dia a dia. Achei que se tratava de uma fuga, mas quem me conhece há mais tempo sabe que se trata de uma ideia sempre latente que resolveu desabrochar. 

Aos poucos vou atualizando os preparativos pra vocês. Por que mudar.guardando dinheiro, a procura pela escola, o melhor atendimento, passaporte, moradia, entre outros.

Novos rumos

 

Agora nós dois somos um outubro 27, 2009

Filed under: Carinhos e cafuné — Priscila Valdes @ 5:37 pm
Tags: , , , ,

Texto de Stella Florence

Lembram daquelas massinhas de modelar? Quando a gente pegava uma azul e misturava com outra amarela o que dava? Dava nada. Dava cinza.
Estava eu num restaurante com um casal que conhecera há pouco, quando presenciei, entre os dois, o seguinte diálogo:
– Estou com vontade de comer frango, e você? – ele perguntou.
– Não estou muito a fim. Que tal peixe?

– Você sabe que eu não gosto de peixe.
– Hum… Topa uma carne? – a mulher sugeriu.
– Não, carne me deixa o estômago pesado.
– Carne magra…
– Não.
– Então, a gente pode pedir uma massa pra quebrar o galho.
– É, uma lasanha, pode ser…

Essa conversa aparentemente banal – que não foi motivada por problemas financeiros – me fez lembrar de uma frase, muito usada para e por casais, frase que me causa calafrios: “Agora nós dois somos um”.

A idéia de que ao namorar, casar ou juntar nós passamos, imediatamente, a fazer parte do outro é uma das maiores fontes de infelicidade entre casais. Não, nós não viramos um. Dois continuam sendo dois, com suas individualidades, seus desejos, seus prazeres, seu modo de pensar, de sentir e agir, dois distintos, juntos por opção, não por osmose. Juntos, não misturados.

Lembram daquelas massinhas de modelar da época da escola? Quando a gente pegava uma azul e misturava com outra amarela o que dava? E uma verde com outra vermelha? O que dava? Dava nada. Dava cinza. As massinhas, quando misturadas, quando sovadas uma na outra, perdiam a cor original, viravam uma meleca cinzenta. É exatamente isso que acontece com um casal quando ele cisma em levar adiante essa história de “nós dois somos um”: os dois acabam virando uma massa cinza. E dá-lhe engorda, dá-lhe depressão, dá-lhe pânico, dá-lhe enxaqueca e mais todas as doenças somáticas juntas para sustentar essa antinatural perda da individualidade.

Eu insisto: nós nunca, nunca deixamos de ser independentes, únicos, livres, vacinados, senhores do nosso prazer e destino. Podemos permitir que uma outra pessoa se misture em nós a ponto de não sabermos mais quem somos, mas creia, isso não é bom, isso não é amor, muito menos prova de amor.

Há casais que se forçam a dormir no mesmo horário, que jamais entram em salas diferentes quando vão ao cinema, que não admitem que o seu amor possa sentir desejo por outras pessoas, que não admitem o próprio desejo por outras pessoas, que não viajam sem a cara metade, que se metem em passeios que detestam como churrasco com pagode, piscina com maionese ou bossa-nova com uísque apenas para não deixar o outro se divertir sozinho. Por que tanta insegurança e mutilação? Pra que? Ah, sim: para ser um!

Quando duas pessoas me dizem “agora somos um”, para mim, isso significa que elas passaram, cada uma, individualmente, a valer o mesmo que meia pessoa. Em vez de ganhar algo, elas perdem quase tudo.
 www.stellaflorence.kit.net

Sozinho

 

Amy!

Filed under: Diversão — Priscila Valdes @ 2:49 pm

Pet Rocks 2010 - Amy

 

Pets Rock 2010 – Fofo, né?! Tem também o Bob Marley, Sid Vicious, David Bowie, entre outros.  Vai lá!

 

Em preto e branco outubro 26, 2009

Filed under: Diversão — Priscila Valdes @ 6:42 pm

The impossible cool…

Basquiat

 

Transformação

Filed under: Vida urbana — Priscila Valdes @ 6:24 pm
Tags: , ,

“Este é um momento para uma passividade profunda. Aceite qualquer dor, tristeza ou dificuldade, conforme-se com o ‘fato consumado’. É muito semelhante à experiência do Buda Gautama quando, após anos de busca, ele finalmente desistiu, sabendo que não havia nada mais que pudesse fazer. Naquela mesma noite ele se tornou iluminado. A transformação chega, como a morte, no seu devido momento. E também como a morte, ela transporta você de uma dimensão para outra.” Osho

Meditando

 

Kitty rules! outubro 22, 2009

Filed under: Carinhos e cafuné,Diversão — Priscila Valdes @ 8:43 pm
Tags: , , , , ,

Eu já falei aqui sobre o Reino d’almofada. Eles têm uns achados na internet sobre o mundo felino.  Lá eu encontrei o Kitty rules, 10 gatinhos fofos com mensagens bem divertidas.

A idéia é de  Bob Staake, autor e ilustrador de mais de 47 livros. 

Tenho certeza que você vai curtir, vai lá!

Kitty rules

 

Ai, como eu amo… outubro 21, 2009

Filed under: Carinhos e cafuné — Priscila Valdes @ 3:45 pm
Tags: , ,

Eu não sei se já disse aqui que AMO o Liniers Macanudo. Suas tiras são ótimas, os diálogos leves, desenhos lindos, enfim… Me encanta 🙂

O nome de Liniers é Ricardo Siri, argentino e já teve o seu trabalho publicado em vários lugares, tipo o jornal La Nación. Vai uma amostrinha do trabalho dele:

Liniers

 

Ui! outubro 20, 2009

Filed under: Vida urbana — Priscila Valdes @ 9:24 pm

Stress

 

Diálogos Coração-Peludo: namoro

Filed under: Carinhos e cafuné — Priscila Valdes @ 6:17 pm

Final de semana
Sábado

Ele – Oiiii (acaba de chegar)
Ela – Oi

Ele – O que você tem? (sentados no sofá)
Ela – Nada

Ele – (Silêncio)
Ela – É que eu estou meio triste (olhos lacrimejando)

Ele – Ahhh, eu estou vendo que você está quietinha. O que foi?
Ela – O miumiu (aos prantos)

Ele – Quem é miumiu?? (olhos arregalados)
Ela – É o gatinho que está abandonado e ninguém gosta dele só porque ele tem o olho machucado que eu vi no blog do SOS Gatinhos (soluçando e gaguejando)

Ele – Que dia é hoje?
Ela – É… Eu estou na TPM…

Ele – Onde ele está? É aqui em São Paulo? A gente pode passar lá e levar ração para ele, o que você acha?
Ela – É… (Sorriso).

Domingo

Ela – Tinha uma foto sua lá no Orkut da sua ex…
Ele – Ah é?

Ela – É… Era bonita até…
Ele – Ah, legal.

Ela – Você sente saudades daquela época?
Ele – Ah, eu sinto.

Ela – Você era mais feliz naquela época?
Ele – Não (ar desconfiado)

Ela – Você ainda tem contato com a sua ex?
Ele – Ah, encontrei com ela um dia ai na balada.

Ela – Como assim? Você ficou com ela e não me falou nada? Você ainda gosta dela? (taquicardia e tremedeira)
Ele – (Silêncio)

Ela – (Silêncio)
Ele – Você é louca (risada)

Ela – Sei. Você que ficou a tarde INTEIRA falando da sua ex e eu que estou louca (risada)
Ele – É. Você está MESMO na TPM.

Gato preto